Arquivo mensal: outubro 2012

Capitalismo: Uma História de Amor

Image

Michael Moore fez um documentário que condizia com a situação do momento. Alguns o criticam porque Michael Moore, praticamente, faz propaganda do Obama. Ele exalta Barack Obama porque era o único, na época, que tinha visibilidade, para mudar aquele catastrófico cenário que estava por vir. Mas não podemos esquecer a Deputada que denunciou os magnatas de Wall Street no Congresso e, praticamente, convocou rebelião dos americanos.

O documentário começa um pouco lento e cru, com a intenção de emocionar o telespectador, mas depois, quando se aprofunda nas questões que levaram ao Crash, ele foca os culpados de maneira clara e objetiva e não cai em explicações complexas em que, normalmente, o tema demanda.

A crueldade que os executivos tinham com os trabalhadores é impressionante, chegando até a chamá-los de “camponeses”. Se acharmos que nossa constituição tem leis ultrapassadas, as leis americanas chegam a ser selvagens com as pessoas. O Capitalismo se tornou um balcão de negócios para os mais ricos, como diz no documentário.

O Capitalismo americano é modelo em outros países e tem enorme influência no mundo. Eu considero que ir à espinha dorsal do sistema, que é o sistema de bancos americanos, foi um mérito que Michael Moore teve, porém deixar de mostrar os efeitos que ocasionou em outras partes do mundo o fez deixar um pouco a desejar. Temos que entender também que esse doc foi feito para os americanos que estavam sem perspectiva e também para explicar a eles o que houve. O doc preferiu apenas focar no que aconteceu lá.

Um ponto baixo pra mim foi usar a religião para julgar o capitalismo. Eu até entendo que os julgamentos que o Bispo fez baseados em “o que Jesus pensaria” estão corretos, porém usar critérios religiosos não é algo bom. Mas o julgamento foi válido por estar correto.

O sentimento que o documentário deixa é que, como sempre, as pessoas não tem consciência do papel que elas tem dentro de uma democracia. Em casos como esses o poder do povo, a maioria, sempre é mais forte que o da minoria, uma questão lógica, porém as pessoas sempre abaixam a cabeça para quem veste terno e gravata.

O documentário cumpriu seu papel e até divertiu em algumas partes, como aquela em que Michael Moore tenta ir prender os banqueiros e então chama um policial que aparece lá.

Também destaco os méritos técnicos. A atmosfera criada pela filmagem com a câmera de mão faz o telespectador se sentir na urgência que o tema precisa, o que faz o documentário ser em nenhum momento entediante.

Título: Capitalismo, Uma História de Amor

Ano: 2009

Direção: Michael Moore

Roteiro: Michael Moore

download: http://thepiratebay.se/torrent/5377950 e legenda tem no http://www.legendas.tv

Anúncios

Álbuns lançados em 2012 que você certamente não ouviu, ainda (parte 6)

Álbuns lançados em 2012 que você certamente não ouviu, ainda (parte 6).

Hoje vou falar de alguns álbuns nacionais. E muito do que eu ouvi foi porque me indicaram. Mas tem muitos álbuns bons.

Onze Nós – Tópaz

Tópaz é uma das melhores bandas gaúchas dos últimos tempos. Mas eles ainda não são tão reconhecidos. É uma banda que tem uma sonoridade bem diferente para falar a verdade. O que mais me chamou a atenção desde a primeira vez que os ouvi foram as letras. E Onze Nós é sem dúvidas o melhor álbum deles. Eu destacaria a música Eu Sempre Esqueço, pelas guitarras dispersas e por ser uma das melhores letras que conheço.

Álbum: Onze Nós

Banda: Tópaz

Data do lançamento: 31 de março de 2012

Duração: 35:20 min (11 faixas)

Gênero: Rock Alternativo

Link para download: http://bandatopaz.com/

Em Frente… – Valentin

Esse é o projeto solo do vocalista da banda DOYOULIKE?. Não sei se alguémaqui conhece a banda. Mas enfim, o projeto do Érico é um folk estilo nada brasileiro com músicas acústicas e perfeitas letras melancólicas. Se fosse em outro país faria muito sucesso, mas como é no Brasil ele é completamente desconhecido. Mas é algo da música nacional que realmente vale muito a pena ouvir.

Álbum: Em Frente…

Artista: Valentin

Data do lançamento: 19 de setembro de 2012

Duração: 33 minutos (11 faixas)

Gênero: Folk, Acústico

Link para download: http://www.4shared.com/zip/fMoIGwVn/em_frente_-_valentin.html

Eu Invisível – Quatro Por Dois

Essa sim é uma banda desconhecida e que ninguém vai escutar se não for por indicação de alguém, que foi o que aconteceu comigo. Quatro Por Dois é da Bahia e eles fazem um rock alternativo muito bom de ouvir, com bastante teclado e acordeão. E por favor, baixem mesmo o álbum, pois é algo bom demais para ser tão pouco ouvido.

Álbum: Eu Invisível

Banda: Quatro Por Dois

Data do lançamento: 21 de agosto de 2012

Duração: 36:40 min (12 faixas)

Gênero: Rock Alternativo

Link para download: http://www.paywithatweet.com/pay/connect.php?id=3298d96ef892bea9bf76e6dd4360a8c2

¡Adiós, Esteban! – Esteban

E aqui o projeto do Tavares, ex-integrante da Fresno. Não conheço nada da banda, mas esse álbum solo dele é incrível. Fiquei com o pé um pouco atrás quando fui escutar, mas me impressionei mesmo. ¡Adiós, Esteban! é um dos melhores álbuns que conheço na música brasileira. Com melodias muito bem construídas e músicas tristes, mas nada que lembre emo [deixem de lado essa imagem emo que vocês podem ter dele por ser representante de algumas bandas desse estilo].  Para mim não há dúvidas que esse é o melhor álbum nacional do ano. Destaque para a música Pianinho, que tem um teclado muito bom acompanhado por uma linha de baixo viciante e uma letra que dispensa comentários… e a voz rouca do Tavares. E em Sinto Muito Blues tem a participação do mestre Humberto Gessinger. Realmente me surpreendi com esse álbum. Todos os elogios serão poucos.

Álbum: ¡Adiós, Esteban!

Artista: Esteban

Data do lançamento: 20 de agosto de 2012

Duração: 50:19 min (12 faixas)

Gênero: Rock Alternativo, Folk

Link para download: http://www.adiosesteban.com.br/

Álbuns lançados em 2012 que você certamente não ouviu, ainda (parte 5)

Álbuns lançados em 2012 que você certamente não ouviu, ainda (parte 5).

Eu estava pensando em já parar com esses posts sobre álbuns lançados em 2012. Acho que já se tornou chato. Mas vou fazer mais esse, que talvez seja o último.

Não vou seguir um estilo musical nesse post. Vou falando sobre uns álbuns aleatórios.

To The Soul – Frida Hyvönen

Esse que é o quinto álbum lançado por esta sueca portadora de uma voz incrível e poderosa. Não conheço os trabalhos anteriores, mas já estou procurando para baixar. Então vou me focar a falar mesmo somente sobre ao que ouvi em To The Soul.

Talvez esse seja o álbum mais surpreendente do ano.  Começa com uma atmosfera muito new wave estilo anos 80 nas duas primeiras faixas, Gas Station e Terribly Dark. Estas músicas estão entre as melhores que já ouvi, sem exageros. Logo depois vem The Wild Bali Nights mais focada em piano e voz. E então uma das mais perfeitas linhas de baixo que já ouvi acompanhada por uma feliz melodia de piano em California. E o álbum segue com músicas acompanhadas basicamente por piano.

Mas vale muito a pena falar também das últimas três músicas Postcard, In Every Crowd e Gold que incorporam muitos elementos de música clássica. E claro que não posso deixar de comentar sobre voz dessa mulher, que é muito incrível.

Talvez esse seja o álbum mais subestimado e sem reconhecimento dos últimos anos.

Álbum: To The Soul

Artista: Frida Hyvönen

Data do lançamento: 11 de abril de 2012

Duração: 51:15 min (12 faixas)

Gênero: Folk, Indie Pop

Link para download: http://kat.ph/frida-hyvonen-to-the-soul-2012-r35-t6347370.html

Love This Giant – David Byrne & St. Vincent

Acabo de baixar esse álbum de St. Vincent e David Byrne. Comecei a ouvir St. Vincent há pouco tempo por ‘culpa’ dessa pessoahttps://twitter.com/markribis. E foi uma das melhores coisas que ouvi nos últimos tempos. Essa união dela com o ex-Talking Heads David Byrne formauma das melhores duplas da música. Espero muito mais álbuns deles.

Love This Giant começa com a música Who e suas batidas eletrônicas combinadas a saxofones e que com toda a sinceridade me dá uma vontade incontrolável de dançar exatamente como o David Byrne no vídeo oficial da música.

E o álbum gira em torno do experimentalismo em misturar música eletrônica com saxofones, trombones, tubas, clarinetes, flautas, instrumentos de sopro no geral. E é uma ideia que na prática faz uma das melhores sonoridades que se pode imaginar, ainda mais quando temos a voz do David Byrne e da St. Vincent cantando junto.

Não tem como explicar como estou amando esse álbum. Mais um para a lista dos melhores de 2012.

Álbum: Love This Giant

Banda/artistas: David Byrne & St. Vincent

Data do lançamento: 10 de setembro de 2012

Duração: 44:33 min (12 faixas)

Gênero: Funk, Folk, Experimental

Link para download: http://kat.ph/david-byrne-st-vincent-love-this-giant-2012-nltoppers-t6640908.html

My God Is Blue – Sébastien Tellier

Sébastien Tellier é um francês que faz música eletrônica. Quais as chances de ser ruim? Nenhuma. E só uma observação: com o passar do tempo eu acho cada vez mais que esse cara é Jesus.

Falando sobre My God Is Blue, que é o quarto álbum de estúdio, continuam as músicas com batidas calmas e relaxantes só que com muito mais qualidade. Arrisco-me a dizer que essa é a obra-prima de Sébastien.

E o destaque vai para a música Cochon Ville que é muito boa, e principalmente pelo vídeo que é bastante polêmico: há umas pessoas que lembram membros do Ku Klux Klan tocando instrumentos, mulheres e homens dançando nus como se fosse uma orgia sexual e aparece até um cachorro no meio da confusão, Sébastien Tellier rindo e numa posição de Deus da bagunça e então a letra da música que faz uma crítica gigante à religião. Aparecem muitos seios, e seios me lembram dohttps://twitter.com/DOUGLASKILLER. Certamente um dos melhores vídeos que existem.

<p><a href=”http://vimeo.com/40291506″>Sébastien Tellier – Cochon Ville (Official Music Video – Uncensored Version)</a> from <a href=”http://vimeo.com/recordmakers”>Record Makers</a> on <a href=”http://vimeo.com”>Vimeo</a&gt;.</p>

Talvez essa seja uma das causas que faz o Sébastien não ser tão famoso como mereceria: a polêmica. Mas ele é muito genial. Recomendo a todos ouvirem Sébastien Tellier.

Álbum: My God Is Blue

Banda/Músico: Sébastien Tellier

Data do lançamento: 16 de abril de 2012

Duração: 46 min (12 faixas)

Gênero: Eletrônico, Downtempo, Trip-Hop

Link para download: http://kat.ph/sebastien-tellier-2012-my-god-is-blue-320k-cbr-t6323188.html

Álbuns lançados em 2012 que você certamente não ouviu, ainda (parte 4)

Álbuns lançados em 2012 que você certamente não ouviu, ainda (parte 4).

Continuando a saga dos álbuns lançados em 2012 e que ficam longe dos afagos da grande mídia, o que faz com que sejam pouco ouvidos ou até mesmo passem despercebidos pela maioria das pessoas.

Hoje falarei sobre álbuns mais voltados para o estilo shoegaze e sua atmosfera dispersa. E vamos direto ao que interessa.

For My Parents – Mono

Mono é uma banda japonesa de música instrumental e que faz uso de vários estilos musicais; entre eles, shoegaze, rock progressivo, trip-rop e música clássica.

Comecei a ouvir a banda no início desse ano, e ainda não tenho uma opinião crítica completa sobre todos os álbuns. Mas com o lançamento desse último álbum, passei a ouvir mais Mono.

For My Parents é o sexto álbum de estúdio da banda. E como em todos os trabalhos anteriores, seguem as faixas bastante extensas (a menor com oito minutos e maior com quatorze); e isso pode parecer algo que desmotiva quem vai começar a ouvir Mono, ficar mais de dez minutos ouvindo músicas instrumentais, mas acreditem, é criada uma atmosfera tão boa e calma que nem se percebe o tempo passando.

E é algo incrivelmente bom para ouvir acompanhado pela leitura de um livro ou até mesmo antes de dormir.

Álbum: For My parents

Banda: Mono

Data do lançamento: 4 de setembro de 2012

Duração: 55:37 min (5 faixas)

Gênero: Instrumental, Ambient, Shoegaze

Link para download: http://newalbumreleases.net/48223/mono-for-my-parents-2012/

Les Voyages De L’Âme – Alcest

Alcest é uma banda francesa formada em 2000 por Neige, que é o único membro constante; e sofreu grande mudança em sua sonoridade que no inícioera Black Metal e com o passar dos anos foi mudando para Shoegaze, mas sem abandonar os elementos do Metal. E é exatamente isso que faz essa banda ser tão especial. E se torna mais admirável pelo fato de cantar Black Metal em francês, onde a maioria das músicas são mais calmas e falando de amor.

Les Voyages De L’Âme (As Viagens da Alma, em português), é o terceiro álbum de Alcest. Teve como primeiro single a música Autre Temps, com um vídeo que descreve perfeitamente a atmosfera mística que é criada em todas as músicas.

O álbum é marcado pelas guitarras dispersas que acompanham a longa duração da maioria das músicas, e que se escutadas com um bom fone de ouvido criam uma sensação única; também pelas letras bastante tristes e pelos vocais que alternam entre limpo e gutural.

Foi o primeiro álbum de 2012 que ouvi, e está entre os meus favoritos.

Álbum: Les Voyages De L’Âme

Banda: Alcest

Data do lançamento: 6 de janeiro de 2012

Duração: 50:23 min (8 faixas)

Gênero: Shoegaze, Black Metal, Post-Rock

Link para download: http://newalbumreleases.net/42703/alcest-les-voyages-de-lame-2012/

(Só uma observação do ‘reblogador’: eu não sabia que era possível combinar Shoegaze com Black Metal. A mistura ficou ótima. Vale muito a pena conhecer esse álbum.)

Sweet Heart Sweet Light – Spiritualized

Spiritualized foi formada em 1990 na Inglaterra por Jason Pierce, que é o único membro constante na banda.

Comecei escutá-los há um mês. E ainda estou tentando entender o estilo musical dessa banda. Algo que eu acho que nunca conseguirei por causa da diversidade musical encontrada em cada álbum. Todos os estilos musicais de alguma forma ou de outra são encaixados nas músicas.

Sweet Heart Sweet Light é o sétimo álbum da banda. E continua com todas as características dos trabalhos anteriores: as guitarras, muitos efeitos eletrônicos e psicodélicos, corais com caráter gospel, orquestra…

Escutar Spiritualized é como estar se drogando e perdido em um universo paralelo. E quanto mais eu escuto, mais eu começo a ter uma certeza: Jason Pierce é um dos maiores gênios musicais de todos os tempos.

Vou deixar aqui o vídeo da minha música favorita do álbum:

“Sometimes I wish that I was dead

‘Cause only the living can feel the pain”

Uma das melhores coisas que me aconteceram em 2012 foi começar a escutar Spiritualized.

Álbum: Sweet Heart Sweet Light

Banda: Spiritualized

Data do lançamento: 16 de abril de 2012

Duração: 59:30 min (11 faixas)

Gênero: Shoegaze, Psicodélico, Space Rock, Dream Pop

Link para download: http://newalbumreleases.net/44900/spiritualized-sweet-heart-sweet-light-2012/