Arquivo mensal: novembro 2012

O Astronauta Iludido

Exilado no vácuo,

Perdido no espaço,

À procura de não se sabe o quê.

Procurando respostas sem ter nenhuma pergunta.

 

Procura sempre em lugares em que não há matéria,

No mais obscuro lugar do espaço,

Em que respostas já não são mais possíveis.

O que lhe resta é se deixar flutuar

 

Quando acha que tudo está para ser perdido,

Ele logo vê esperança,

Mas essa mesma já não o importa,

Porque agora ele se juntou ao espaço.

 

O astronauta acha que o espaço tomou conta dele,

Mas na verdade ele se torna mais outro pedaço insignificante do espaço.

Mal sabia ele que era apenas outro nada dessa imensidão,

Fazendo dele mais outro pobre ser que achou que poderia compreendê-lo.