Arquivo mensal: fevereiro 2014

Cigarro

 

Iluminado pela brasa do cigarro

Vou organizando os fatos

Que aconteceram

E, principalmente,

Os que deixaram de acontecer

 

A fumaça some no ar

E a cada tragada

O cigarro fica cada vez menor.

Vida vivida

Vida perdida

Porém esclarecida.

 

O cinzeiro está vazio

Aguardando a bituca que cairá

E semeará essas palavras.

Jaz em mim uma vontade universal

Só que sou uma pessoa

E à mim não caberá voltar

 

O cigarro que fumei já se foi.

Só resta a mim agora descartar o filtro,

E o placebo já age em meu organismo.

E a cada segundo continuo a existir

Tragando o meu espírito

E soltando sua fumaça no ar

No ambiente onde nem todos fumam.