Calamidade Humana

Dias sem nenhuma umidade
Mostra que nosso modo de vida
Tem tendência a calamidade.
Sustentamo-nos no insustentável
Que transvalorizado
É o sustentável que dita o que é inestimável.

No meio desses dias ásperos
A demanda de sensibilidade
Camufla sensações em sentimento,
E sensações vem até do ar que não vemos.
E sem meio de evitar ventos
Somos desintegrados sem alento.

Estamos em calamidade
Que veio fruto da hipocrisia ferrenha
Que até palavras com vaidade ditarão a sua resenha
Que ainda não tem sentença.
E sem a ordem,
te limitar em sua psicose.

A única imagem bonita a se preservar
Não está mais aqui para falar
Que tudo está bem e não há com o que se preocupar.
O Sol tomou para ele todo ar
E exerceu seu poder de nos manipular
Para a terra respeitar
Senão ela nos mata sem hesitar.

E assim nos vemos em calamidade,
Já que até para admirar falta tempo e coragem.
E o excesso de dias bonitos
Fazem a vida se esvair em infertilidade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s