Arquivo da categoria: Reflexões

Por que a solidão é estigmatizada?

Estou sozinho enquanto escrevo esse texto. Meus pensamentos fluem melhor quando fico sozinho e o ambiente no qual habito está silencioso. Eu passei a gostar da solidão. A solidão pode ser um dos motivos que me faz ser melancólico e angustiado, porém é com ela que tenho minhas melhores ideias. Não que minhas ideias sejam muito boas, mas encontro na solidão o que não consigo enxergar no estado de harmonia, socialização e na busca da felicidade. No tal estado temido pela maioria, eu encontro o bem estar necessário para passar os dias.

Pessoas solitárias tendem a serem mais tristes, o que logo faz elas parecerem inferiores por não estarem buscando o que todo mundo busca: a felicidade. Eu não sou triste, eu apenas não sou extrovertido. Da solidão pode vir doenças do mundo moderno, como a depressão, mas esse não é o único motivo que causa depressão. A depressão também envolve outros motivos, como: cigarros, remédios, excesso de luzes, pílulas anticoncepcionais, estresse causado pelo cotidiano e tragédias. A causa da doença é relativa, não tem a ver, exclusivamente, com a solidão.

A felicidade buscada por todos parece nunca chegar. As pessoas sempre querem mais e mais, e sempre a satisfação parece mais longe. A felicidade vem para alguns, causa um estado de exaltação e logo esvai.  Eu acredito que felicidade seja apenas um período de satisfação e prazer produzido por uma conquista ou realização de algo idealizado que o indivíduo encontrou diversos problemas no caminho até o tal sucesso; é o prêmio recebido pelo esforço. Então eu acredito que a felicidade que dure seja utópica, quase inalcançável. Crescemos com a ideia de que só vamos viver bem se chegarmos à felicidade, quando ao mesmo tempo é difícil saber o que será a real felicidade para o indivíduo, levando-o para um vazio existencial enorme.

Muitos dos maiores gênios da história eram mais reservados e sozinhos e eles sofriam do mesmo “mal olhado” que os solitários sofrem, mas eles fizeram diferença na sociedade. Não estou querendo dizer que as pessoas solitárias são mais inteligentes, porém as pessoas solitárias tendem a desenvolver suas opiniões sozinhas; elas são menos alienáveis, mas isso não quer dizer que as pessoas mais alegres tendem a ser mais manipuladas. A alegria, providenciada pela felicidade, deixa as pessoas conformadas. Eu, particularmente, acho difícil ficar conformado com diversas coisas que acontecem ao redor de todos. Talvez até por me importar muito às vezes, ou muita informação.

Eu acho que a solidão é um presente que todos deveriam ganhar para conhecer a si próprio. É importante manter relações sociais, mas também não é a única coisa na vida; você vai conseguir viver sem isso, no sentido de necessidade. A felicidade hoje é vista como momentos que você vai sorrir e ficar alegre por um tempo e depois relembrar tudo depois; isso apenas servirá como um conforto no futuro. A felicidade hoje é buscada dessa forma. Muitos acabam caindo no vazio existencial da vida nisso. A vida perde o sentido. Não incito o leitor desse texto a parar de se divertir, mas sim o porquê que você faz isso sempre; você consegue viver sem isso por um tempo. Há um tempo atrás, uma conhecida minha tinha acabado um namoro, que no caso não durou nem três meses, e eu então fui aconselhar ela. Eu disse: “às vezes é bom ficar sozinha, não faz mal”. Ela me olhou com olhos de desespero e falou quase que grosseiramente “não, você é louco! Ficar sozinha não é comigo, vou ficar louca”. Entendo o momento que ela estava passando, mas só a ideia de ficar sozinha sendo sugerida a ela, já a apavorou.

É importante, às vezes, deixar de ouvir os outros e ouvir a si mesmo. Talvez, as respostas que você quer escutar dos outros podem estar dentro de você mesmo, porque você se conhece melhor que ninguém, entretanto, você pode ficar cego assim também. Solidão é como estar em comunhão, mas a diferença é que sua companhia é você mesmo. Não há o que temer quando se está sozinho.